Entrevista do Sleeping Giants Brasil à Folha de S. Paulo Mostra a Arrogância dos Justiceiros

Tenho observado os militantes do Sleeping Giants Brasil desde que iniciaram suas ações no Brasil, em maio de 2020. Em 17 de junho, publiquei um artigo chamado A Desmonetização pelo Medo, em que expus o método de ação do grupo, que usa o assédio a empresas como arma para atacar seus verdadeiros adversários. Poucas horas depois de publicado, um perfil anônimo que se apresentou como porta-voz do grupo me interpelou no LinkedIn (veja aqui um print da conversa) e disse querer responder a “questionamentos” levantados em meu artigo. O representante do grupo protestou por eu não os ter consultado antes de publicar o texto, “como praxe das boas práticas do jornalismo”, ao que respondi que “Não sou jornalista. Imagino que vocês tampouco tenham procurado as empresas que denunciam, mas não os culparia por isso. Afinal, não são juízes”. Em seguida, meu interlocutor afirmou que “Não viemos questionar, refutar, debater. Viemos responder aos seus questionamentos inseridos no texto”. Pedi então que fossem ao ponto e apresentassem suas réplicas, que compilei em novo artigo, no dia seguinte, e às quais acrescentei minhas tréplicas.

Olhando em retrospecto, acho que fui o primeiro e talvez o único a ter uma entrevista com o Sleeping Giants Brasil, até a publicação de entrevista com a Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo. Também é digno de nota que, poucas horas depois do primeiro contato, ainda no dia 17, eu tenha sido novamente procurado por representantes do grupo, desta vez no Twitter, pelo perfil do Sleeping Giants Paraná.

Casal de estudantes se apresenta como responsáveis pelo Sleeping Giants Brasil
Estudantes de direito apresentam-se como responsáveis pelo Sleeping Giants Brasil

Na entrevista publicada na Folha, dois estudantes de direito apresentam-se como organizadores do grupo no Brasil e dão explicações sobre suas atividades e supostas motivações. Os jovens paranaenses Mayara Stelle e Leonardo de Carvalho Leal revelam, acima de tudo, enorme arrogância, seguros que estão de saber o que é verdadeiro ou falso, o que é bom ou mau, e convencidos de seu direito de fazer justiça com base em suas convicções pessoais. Mayara Stelle afirma que não promovem censura e que o objetivo do Sleeping Giants é apenas “alertar a empresa. A decisão de manter um anúncio ou retirar, e de banir um usuário por violação dos termos de uso ou não banir, pertence à empresa. Nós só avisamos.” É o mesmo que alegou o porta-voz do grupo quando respondeu a meu artigo original. “A nossa campanha é puramente informativa”, afirmou.

Não duvido de que realmente acreditem nisso, mas se seu objetivo fosse apenas informar empresas de que seus anúncios estariam sendo veiculados em websites indesejáveis, bastaria enviar-lhes e-mails. O fato de que atuam em público, incitando seus seguidores a boicotar as empresas anunciantes, refuta a justificativa dos militantes. E a insistência com que perseguem os que não se curvam a suas ameaças, publicando cobranças repetidas em suas redes sociais, termina de enterrar a desculpa fajuta. O Sleeping Giants Brasil julga, acusa e persegue seus adversários e o exemplo mais grotesco disso foi a criação de um website destinado exclusivamente a desmonetizar o filósofo Olavo de Carvalho.

Se os militantes do Sleeping Giants Brasil não perseguem ninguém, como explicar isso?

A hipocrisia não acaba nisso. Stelle afirma que “a gente não olha se o site é de esquerda ou de direita”, mas após pressionados nas redes sociais para reagir a um vídeo alegadamente misógino do grupo humorístico Porta dos Fundos (conhecido por seus militantes de esquerda), o Sleeping Giants não fez mais que os admoestar. Sem pedidos de desmonetização aqui.

Talvez o exemplo mais claro da arrogância do casal seja este magnífico exemplo de doublethink, proferido por Mayara Stelle: 

“Nós não escolhemos nenhum alvo. O único alvo é a desinformação e o ódio. Se alguém publica isso, achamos completamente justo ela ser desmonetizada. Não é questão pessoal. Se a pessoa parar de escrever fake news, apagar o que já escreveu e pedir desculpas, deixa de ser uma pessoa que pode ser escolhida pelo Sleeping Giants Brasil.”

A justiceira virtual afirma com todas as letras que “não escolhemos nenhum alvo”, mas que se o alvo que eles não escolheram “parar de escrever fake news, apagar o que já escreveu e pedir desculpas” terá a sorte de deixar de ser “uma pessoa que pode ser escolhida pelo Sleeping Giants Brasil”.

Aqui encerro meus comentários. As vítimas do grupo certamente terão mais a dizer.

Inscreva-se em minha newsletter:

Receba artigos selecionados sobre política, cultura e sociedade.

Assinatura recebida!

Verifique seu e-mail e confirme a assinatura do boletim informativo.

Autor: Cesar Nascimento

Cesar Nascimento é diplomata. Instagram/Twitter/Telegram/LinkedIn/Revue: cesarapenas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s